As línguas estrangeiras no ensino superior: balanço, estratégias e desafios futuros

Os trabalhos que são apresentados no presente volume, intitulado As línguas estrangeiras no Ensino Superior: balanços, estratégias e desafios futuros, debruçam-se sobre diferentes aspetos do ensino-aprendizagem de línguas estrangeiras.

ISBN-13: 978-989-54030-8-0

Detalhes do livro:

Título: As línguas estrangeiras no ensino superior: balanço, estratégias e desafios futuros
Autor(es): Ângela Carvalho, Nicolas Hurst, Rogelio Ponce de León Romeo, Simone Tomé, José Domingues de Almeida
Ano: fevereiro, 2018
ISBN-13: 978-989-54030-8-0
Número de páginas: 208
Língua: Português
Categoria: Publicação de Acesso livre

Descrição

Os trabalhos que são apresentados no presente volume, intitulado As línguas estrangeiras no Ensino Superior: balanços, estratégias e desafios futuros, debruçam-se sobre diferentes aspetos do ensino-aprendizagem de línguas estrangeiras; alguns deles analisam precisamente os efeitos do documento de referência que acaba de ser referido. Uma leitura crítica do CEFRL, com efeito, é desenvolvida a partir dos contributos de Bruno Maurer, Dominique Faria, Jean-Marie Prieur e Rose-Marie Volle e José Domingues de Almeida. Outros autores, por seu turno, apresentam investigações sobre aspetos das áreas nucleares dos mestrados em ensino em Portugal; de diversos aspetos que concernem à didática específica tratam os trabalhos de Elisabete Mendes Silva e Luciana Cabral Pereira, e Rogelio Ponce de León Romeo; por sua vez, alguns recursos, práticas e representações enquadradas na formação de professores são analisados nos estudos de Ana María Cea Álvarez, María del Pilar Nicolás Martínez, Marta Pazos Anido e Simone Auf der Maur Tomé, e Nicolas Hurst. Outros investigadores, por fim, examinam, no âmbito do ensino-aprendizagem de línguas estrangeiras, questões que se prendem com o papel do professor (Abdelilah Suisse e Ana Isabel Andrade), com a centralidade do aluno no processor de ensino-aprendizagem (Hamida Mahjoub) ou com a forma como os elementos estruturantes do processo de ensino-aprendizagem (instituição, professor, aluno…) se relacionam, assumindo a ética como eixo central (Christopher Anderson).