O Pano da Terra

Produção têxtil em Portugal nos finais da Idade Média

‘Pano da terra’, expressão telúrica que vemos aparecer nos documentos medievais, era o nome que se dava ao tecido fabricado localmente, distin­to daqueles que vinham de fora. Na presente obra, vamos ao encontro das raízes dessa produção local, procurando combater a ideia feita de um rei­no que dependia totalmente dos panos estrangeiros para se vestir.

ISBN-13: 978-989-746-057-9

Detalhes do livro:

Título: O Pano da Terra
Autor(es): Joana Sequeira
Preço: 18.50€ 16.65€
Ano: dezembro, 2014
Edição: 1.ª
Editora: U.Porto Press
Coleção: Outras Coleções
Série: Para Saber
ISBN-13: 978-989-746-057-9
Dimensões: 160 mm x 230 mm x 20 mm
Número de páginas: 323
Peso: 570 g
Língua: Português
Tipo de Capa: Mole
Categoria: História > História de Portugal, História > História Económica

Descrição

‘Pano da terra’, expressão telúrica que vemos aparecer nos documentos medievais, era o nome que se dava ao tecido fabricado localmente, distinto daqueles que vinham de fora. Na presente obra, vamos ao encontro das raízes dessa produção local, procurando combater a ideia feita de um reino que dependia totalmente dos panos estrangeiros para se vestir. Linho, lã e seda eram as principais fibras produzidas em Portugal e transformadas pelas mãos de artesãos mouros, judeus e cristãos. Um domínio técnico sedimentado ao longo de séculos permitiu que as diferentes regiões do país fossem capazes de criar tecidos com marca de origem, que conquistaram um lugar próprio no mercado. Alguns desses panos cruzaram as fronteiras, alimentando o comércio português com a Europa e com África. A crescente projeção que os produtos têxteis nacionais alcançaram no mercado externo mostra que esta indústria abandonava lentamente a sua condição de “isolada” e “periférica”, ao mesmo tempo que se constituía como um pilar fundamental da economia do reino.

Autor(es):