Português e espanhol entre as três línguas mundiais “que mais crescem”

“As línguas portuguesa e espanhola «estão entre as três línguas mundiais que mais crescem», disse hoje o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, na Guarda, na apresentação de um estudo realizado por Portugal e Espanha.

Augusto Santos Silva falava no Teatro Municipal da Guarda, na sessão de apresentação do estudo “A Projeção Internacional do Espanhol e do Português: O potencial da proximidade linguística”, inserida no programa da 31.ª Cimeira Luso-espanhola, dedicada à cooperação transfronteiriça e à articulação de uma estratégia conjunta para a recuperação económica.”

(…)

“«No seu conjunto, estas línguas [português e espanhol] são faladas por, seguramente, mais de oito centenas de milhões de pessoas no mundo», apontou o ministro, referindo-se aos resultados do estudo.

Augusto Santos Silva acrescentou que «muitos dos seus falantes maternos» são habitantes da Europa, da América Latina, de África, da Ásia e da América do Norte.

«A geografia destas duas línguas é uma geografia global. E a dinâmica demográfica destas duas línguas é uma demografia em crescimento. O espanhol e o português estão entre as três línguas mundiais que mais crescem», apontou.

Disse ainda que foi decidido apresentar hoje o estudo, na Cimeira Luso-Ibérica, onde foi acordada uma estratégia conjunta transfronteiriça, por ambos os governos entenderem que a estratégia conjunta transfronteiriça marca a cooperação dos dois países na Europa, e o estudo “A Projeção Internacional do Espanhol e do Português: O potencial da proximidade linguística” marca a cooperação “em todo o mundo”.

A primeira vice-presidente do Governo de Espanha, Cármen Calvo, disse que o estudo revela como as duas línguas «podem competir» com a língua inglesa.” (fonte: Blogue do IILP)

Hiperligação para a notícia completa

Projeto “Português para Acolhimento” no Brasil

“(…) professores da Universidade Federal de Roraima (UFRR) desenvolveram o projeto “Português para Acolhimento”, que oferece aulas do idioma utilizando ferramentas digitais e promovendo a educação ao integrar idioma e tecnologia. O relato é da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).Adriana Duarte e Alejandro Pueyo são dois dos 64 alunos formados da última turma do curso de português e educação digital promovida pela UFRR com apoio da Ericsson, COOPCESP, ACNUR e União Europeia.”

“O curso dura dez meses e suas aulas já alcançaram mais de 530 refugiados e migrantes venezuelanos em Boa Vista (RR), capital do estado. A última turma se formou há cerca de um mês, e entre os graduados estava a venezuelana Adriana Duarte, de 35 anos, que chegou ao Brasil no início deste ano. No início de sua jornada no Brasil, Adriana fazia alguns trabalhos audiovisuais (sua especialidade) em Boa Vista. Após o curso, e podendo se comunicar melhor, oportunidades mais concretas foram aparecendo.” (fonte: Blogue do IILP)

Hiperligação para a notícia completa

Prestigiada universidade chinesa inclui português como disciplina opcional

“Uma das mais prestigiadas universidades da China vai passar a ter português como disciplina opcional, já no próximo ano letivo, ilustrando a crescente importância dos países lusófonos para o comércio e diplomacia chineses (…) A partir de setembro, a Universidade Qinghua vai oferecer português como disciplina opcional aos alunos de todos os cursos de licenciatura, disse à agência Lusa fonte da instituição.”

“Localizada no norte de Pequim, a Qinghua é uma das mais prestigiadas universidades chinesas e onde se formaram muitos dos líderes do país, incluindo o atual Presidente chinês, Xi Jinping, e o antecessor, Hu Jintao.”

“A aposta da Qinghua reflete a crescente necessidade da China em formar melhores quadros para trabalhar com os países de língua portuguesa, face à evolução das trocas comerciais, que só em 2018 se cifraram em 147.354 milhões de dólares (131.206 milhões de euros), um aumento de 25,31%, em termos homólogos.” (fonte: Blogue do IILP)

Hiperligação para a notícia completa