Voltar a Artigos

Estado de Calamidade a partir de 15 de outubro

O Governo Português declarou para todo o território nacional o Estado de Calamidade, com efeitos a partir de hoje, 15 de outubro, introduzindo novas regras e medidas de contenção da pandemia da doença COVID-19.

Algumas destas medidas têm impacto direto na vida e nas atividades dos cidadãos e das instituições, nomeadamente:

  • limitação dos ajuntamentos a cinco pessoas na via pública e em outros espaços de natureza comercial e de restauração;
  • proibição da realização de festejos, bem como de atividades lúdicas ou recreativas, no âmbito académico;
  • recomendação do uso de máscara ou viseira na via pública, bem como a utilização da aplicação móvel STAYAWAY COVID (Nota: estas medidas poderão passar a ser obrigatórias, mediante aprovação da Assembleia da República);

Estas medidas são impostas num momento em que se tem observado um aumento contínuo do número de novos casos de COVID-19 em Portugal, com a Área Metropolitana do Porto a ser uma das zonas com crescimento mais acentuado de casos nos últimos dias.

De facto, também entre a comunidade académica da Universidade do Porto têm vindo a ser identificados um crescente número de casos positivos. Desde o início do ano letivo até ao dia de ontem, foram registados 10 docentes e investigadores e 231 estudantes com teste positivo para a COVID-19, incluindo nestes os 101 casos atribuídos ao surto identificado entre a comunidade de estudantes de mobilidade/Erasmus da cidade do Porto.

De acordo com a avaliação das Autoridades de Saúde, não foi registado qualquer surto com origem em atividades letivas ou de investigação no seio da Universidade do Porto, estando a origem dos casos maioritariamente relacionadas com atividades e convívios de cariz social ou familiar.

Este trabalho de identificação de casos e avaliação de contactos na nossa comunidade académica tem sido feito em permanente colaboração entre a Task-Force da Universidade do Porto para a COVID-19 e as Autoridades de Saúde locais, sendo fundamental para que sejam adotadas, de forma preventiva e em consonância com as autoridades de saúde, todas as medidas que garantam a segurança da comunidade académica.

Neste sentido, reforçamos junto da comunidade académica a importância de todos os casos confirmados serem comunicados à Task-Force, tal como tem vindo a acontecer nos últimos dias. O e-mail para o efeito é [email protected].

A sua colaboração é de igual modo fundamental para reportar à Direção das Faculdades e/ou à Task-Force da U.Porto a existência de qualquer situação que seja contrária às recomendações e normas de segurança em vigor na Universidade do Porto.

Recordamos ainda que a Universidade do Porto tem disponíveis voluntários que fazem a entrega de bens de primeira necessidade aos membros da comunidade académica que estejam em isolamento domiciliário por indicação das autoridades de saúde (por teste positivo ou por via profilática) e necessitem de apoio domiciliário.

De igual modo mantém-se em funcionamento a Linha de Apoio Psicológico da Universidade do Porto, disponível a todos os membros da comunidade académica de domingo a sexta-feira, das 19h às 23h, pelo telefone 220 408 408.

Por último, reforça-se que, em caso de surgimento de sintomas, ainda que ligeiros, ou em caso de contacto próximo e desprotegido com pessoa infetada com o vírus da COVID-19, não se pode deslocar ao local de trabalho ou estudo e deve contactar a Linha SNS24 (808 24 24 24) para determinar os procedimentos a tomar de acordo com a avaliação da situação.

Lembre-se que a segurança de todos é responsabilidade de cada um.

Partilhar

Voltar a Artigos