Há uma “nova” Universidade do Porto para conhecer em 360º!

É uma espécie de autoestrada virtual que, num ápice, derruba seis quilómetros de todos os muros que a realidade possa erguer. À distancia de um clique e ao ritmo da curiosidade de cada um, é agora possível explorar as 14 faculdades da Universidade do Porto sem sair de casa. Basta seguir o roteiro de visitas virtuais 3D resultantes do – agora completo – mapeamento virtual da instituição.

Iniciado em finais de 2020, e progressivamente reforçado com novas visitas, este projeto ambicioso permite que qualquer pessoa possa aceder a alguns dos mais emblemáticos edifícios da U.Porto, mas também a recantos que, para muitos, são desconhecidos, nomeadamente para quem acaba de chegar.

Pelo caminho, e para orientar a navegação em modo “Google Street View”, os visitantes vão ainda encontrar vários blocos informativos com factos históricos e vídeos relativos ao espaço em que se encontram.

Um fator de decisão na escolha da Universidade

Especialmente voltadas para futuros estudantes e outros curiosos, estas visitas – disponíveis em português e em inglês – são também úteis para quem está a começar a sua aventura na universidade preferida dos estudantes portugueses. Que o digam os estudantes de mobilidade INcoming que estão a chegar à U.Porto para o segundo semestre…

“Os estudantes encaram estas visitas como uma ferramenta muito útil para conhecer de forma mais personalizada as diferentes faculdades onde vão estudar”, nota o Serviço de Relações Internacionais da U.Porto, que começou já a recorrer a este mapeamento virtual para a fase de preparação, através dos “suportes informativos de apoio à submissão de candidaturas”, mas também na própria fase de acolhimento, “à chegada”, para que os estudantes possam ter “um conhecimento mais imediato dos diferentes espaços”.

Pelo “carater inovador”, pelos “conteúdos interativos” e pela facilidade de navegação, estas visitas virtuais podem ser também “um apoio fundamental para uma melhor integração” e, até, “um fator de decisão na escolha da instituição para a realização dos seus estudos”, defende o SRI.

Toda uma Universidade para descobrir…

O “campus virtual” da U.Porto é para descobrir ao ritmo da curiosidade de cada um… E porque não começar por admirar os dois quadros de Armanda Passos, artista e antiga estudante da U.Porto, que povoam o hall de entrada da Biblioteca da Faculdade de Letras (FLUP)? Dali até à escadaria central, e já depois de uma pausa no Bar dos Estudantes, faz-se o caminho ao encontro de uma recompensa única: dá para espreitar as vistas de um Porto, ainda com perfume oitocentista e romântico, que se espraiam, em escarpa, até ao rio.

Vamos agora, num ápice, a outro ponto da cidade para entrar num edifício que é um marco da arquitetura moderna portuguesa. De que falamos? Da Faculdade de Economia (FEP). Logo a seguir, e ao alcance de um clique, estamos num dos corredores mais emblemáticos da academia. Aqui vai poder ver, literalmente do avesso, ínfimas partes do corpo humano. As vitrines, repletas de peças anatómicas, denunciam que este é um espaço de conhecimento, mas também de respeito pela morte de quem doou o corpo à ciência. Já conhece o Teatro Anatómico da Faculdade de Medicina (FMUP)?

Neste pequeno roteiro de viagem, decidimos encher o peito de ar e seguir o rasto dos jardins. Começamos por aquele que é um dos espaços mais famosos da cidade: o Jardim Botânico da U.Porto.  Aqui está o jardim do xisto, o roseiral, o jardim dos Jotas, o jardim do rapaz de bronze, magólias e, podemos ver até, exemplares da Camellia japonica. O chilrear dos pássaros torna ainda mais imersivo, este mergulho na atmosfera romântica portuense.

Ainda na Rua do Campo Alegre, somos tentados a conhecer as cerca de 500 espécies que povoam os jardins da Faculdade de Ciências (FCUP), com direito a um vídeo onde é possível ficar a perceber como é feita, ao ar livre, a receção aos novos estudantes.

Se a visita aguçar o apetite, pode-se sempre fazer uma paragem na “cozinha” – Sala de Gastrotecnia – da vizinha Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação (FCNAUP), ou enriquecer o espírito numa visita à galeria de exposições da Faculdade de Arquitetura (FAUP).

No centro da cidade, não podemos deixar de entrar nos jardins da Faculdade de Belas Artes (FBAUP), um edifício original oitocentista que, logo à entrada, nos recebe com duas reproduções dos “escravos” de Miguel Ângelo, enquadradas por arcos neoclássicos. Não é raro encontrar estudantes a desenhar por aqui. Antes de irmos para o jardim, uma última paragem. De atitude altiva, no topo da escadaria central, está uma esguia figura feminina. Foi a escultura que José Rodrigues criou, em 1972, para as provas de habilitação ao título de Professor Agregado da Escola Superior de Belas Artes do Porto, precursora da atual Faculdade. Agora sim, podemos entrar nos jardins projetados por Florent Claes, no final do século XIX, que conservam ainda parte da estrutura original, incluindo espécies arbóreas antigas e valiosas. É lá que está o Guardador do Sol, outra escultura de José Rodrigues e “inspiração” de uma das últimas exposições que passaram pela Casa Comum da U.Porto.

Deixando os jardins por um instante, continuamos a explorar o polo central da U.Porto ao encontro do majestoso Salão Nobre da Faculdade de Direito (FDUP), ex libris do edifício histórico inaugurado em 1937 para acolher a FEUP. Mais recente, mas também com muita história para contar, é o complexo partilhado pela Faculdade de Farmácia (FFUP) e pelo Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS), com vista para os jardins do Palácio de Cristal.

De regresso ao outro lado da cidade, ao polo da Asprela, começamos pela Faculdade de Desporto (FADEUP) onde os estudantes têm acesso a uma grande área ajardinada para a prática de modalidades como o futebol, o atletismo, golfe, ou o salto em comprimento. Com um clique, avançamos para a vizinha Faculdade de Engenharia (FEUP). O que é que, nesta Faculdade talvez não conheça? Com uma grande diversidade de espécies de herbáceas, arbustos e árvores encontramos o Jardim das Oliveiras. Outro pormenor que convém sublinhar: estão aqui reunidos vários exemplares da Olea europaea (ou oliveira-brava), proveniente das áreas inundadas pela barragem do Alqueva, concluída em 2002, e que foram replantados aqui, na FEUP.

Hora de ir embora? Não sem antes fazer uma paragem na estação de metro do Polo Universitário, para se aventurar na Clínica da Faculdade de Medicina Dentária (FMDUP), ou desafiar a mente no Laboratório de Neuropsicofisiologia da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação (FPCEUP).

Mostramos tudo? Claro que não. Sabe onde pode ir ver outro quadro de Armanda Passos? A um espaço que, habitualmente, se encontra fechado ao grande público: o gabinete do Reitor, ao Edifício Histórico da Reitoria. Se optar por subir a escadaria central, vai ter direito a um vídeo que acompanhou o restauro dos frescos de Veloso Salgado. Ainda no gabinete do Reitor, vai encontrar alguns quadros de autoria de Abel Salazar. Ficou com curiosidade? Então a sua próxima viagem vai leva-lo até à Casa-Museu Abel Salazar. Se quiser saber um pouco mais sobre o Laboratório Ferreira da Silva, também vai perceber que, do outro lado da janela, há um jardim que talvez reconheça… Sim, é o Jardim da Cordoaria por onde se faz a entrada para este novo espaço do Museu de História Natural e da Ciência da U.Porto.

Se, depois desta visita virtual decidir fazer o percurso pelo próprio pé, há muito mais por descobrir. Um exemplo? Não é só na FBAUP que existe uma escultura de José Rodrigues que foi de extrema importância para o seu percurso académico e profissional. Também na FEP há um trabalho bastante polémico deste escultor, filho da Casa, para descobrir…