BIOLAB

Biolaboratório

Projeto de Experimentação Multidisciplinar

Equipa

Anna Olsson

Anna Olsson é investigadora no i3S – Instituto de Investigação e Inovação em Saúde. Estuda bem-estar e ética animal. Já trabalhou com animais de produção; agora foca a sua investigação nos roedores de laboratório e os cães de companhia e de serviço. Trabalha ainda com questões de ética ligada ao uso de animais na investigação e na biotecnologia. Integra iniciativas estratégicas para substituir, reduzir e refinar a experimentação animal. Lidera um grupo de investigação e organiza formação para preparar cientistas para um uso responsável de animais na experimentação. É fundadora do Alive Together, uma colaboração arte-ciência-humanidades sobre a convivência entre seres humanos e outros animais.

Fernando Tavares

Filipe Marques

Júlio Borlido Santos

Sou Biólogo e Comunicador de Ciência. A minha função nesta unidade curricular é partilhar a minha experiência nas questões de Ciência, Sociedade e Comunicação, bem como apoiar o envolvimento de potenciais parceiros nos diferentes projetos a serem desenvolvidos pelos alunos. Ao longo do tempo já fiz incursões por vários campos, como o teatro, a fotografia e a escrita. Entretanto tenho desenvolvido particular interesse pelos interfaces entre arte e ciência e pelos movimentos maker/DIY e biohacking e, na ficção, pelo biopunk. Adoro imagem e imaginação. Nos meus tempos livres dedico-me ao cultivo de plantas pouco comuns e tenho fascínio pela natureza em espaço urbano, pelo guerrilla gardening, e pelas iniciativas de rewilding. Enquanto coordenador da Unidade de Comunicação do i3S, há muito que organizo, promovo e ensino sobre "Ciência, Ética e Sociedade" em formação avançada para cientistas e outros públicos. Sou, também, vice-presidente do Comissão de Ética e Investigação Responsável do i3S, e íntegro/ei outros conselhos consultivos, incluindo em grupos de escolas locais, associações de comunicação de ciência, entre outros. Trabalhei como investigador em ciências da vida, fui monitor e formador na UPorto, e sou/fui membro de diversos projetos nacionais e internacionais em Ciência para e com a Sociedade e em Arte e Ciência.

Maria Manuela Lopes

Sou artista plástica com uma prática transdisciplinar, explorando relações de memória e identidade informadas pelas ciências biológicas e investigação médica. Tenho mostrado obra a nível nacional e internacional e comissariado várias exposições de Artes Plásticas, muitas vezes com temas que exploram cruzamento de linguagens, práticas e áreas científicas. Tenho uma licenciatura em Escultura, um MA em Artes Plásticas (Goldsmiths College) e um PhD (Brighton Unviversity + UCA) em Arte e Ciência. Leciono Artes Plásticas desde o fim dos anos 90 sendo atualmente Professora Adjunta de Artes Visuais do IPP e investigadora no i3S_Instituto de Investigação e Inovação em Saúde participando em vários projetos na interface arte/ciência/educação. Passando por vários media na minha experimentação plástica (escultura, fotografia, vídeo, desenho, instalação, performance, media interativo, entidades orgânicas e biológicas) e experiências de residência em diferentes instituições científicas e artísticas, participei na fundação e sou Diretora Adjunta dos programas de residência artística portugueses: Ectopia – Laboratório de experimentação Artística e Cultivamos Cultura, programa de residência artística e investigação em artes visuais em São Luís, Odemira que acolhe projetos de artísticos de interação com questões ambientais. Sou ainda da Direção da Academia Internacional de Música “Aquiles Delle Vigne”. e autora de artigos e capítulos de livros em diversas publicações nacionais e internacionais. Além de organizar alguns congressos, festivais e workshops, tenho dado palestras como convidada em variados eventos científicos e culturais.

Maria Strecht Almeida

A minha formação inicial é em bioquímica. Tenho muito interesse no processo de produção de conhecimento em ciência e, por isso, acabei por estudar sociologia – os meus atuais interesses de investigação situam-se no campo dos estudos sobre ciência e tecnologia. No ICBAS (Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar), Universidade do Porto, ensino biofísica básica e laboratorial, bem como questões de ciência e sociedade. Explorar como diferentes áreas de especialização podem fomentar o crescimento uma das outras, e como isso conduz projetos colaborativos, está no centro de minhas preocupações, permeando diferentes aspetos das minhas atividades profissionais, desde o ensino, à investigação e à extensão. As minhas expectativas neste projeto são de que o BIOLAB proporcione um espaço de enriquecimento mútuo entre pessoas de diferentes áreas.

Pedro Ramos

Tenho formação e educação no campo das “hard sciences” desde a área da bioquímica até às da biologia molecular e genética. Embora no princípio tenha desenvolvido o meu trabalho científico na investigação de cancro de mama, tal não me impediu de divergir do caminho inicial e seguir investigação no cruzamento das ciências biológicas e sociais no i3S (https://www.i3s.up.pt/personal-info.php?id=2396&idg=29). Considero-me cada vez mais uma pessoa transdisciplinar e creio que a minha maior contribuição para a experiência BIOLAB será exactamente essa: ajudar-vos no diálogo com os vossos colegas e encontrar uma linguagem comum que todos possamos falar aquando do desenvolvimento do que espero serem projectos ambiciosos e com significado. Estarei também muito interessado em todo o processo crítico que estará por detrás da formulação dos vossos projectos e espero poder ajudar-vos a trazê-los da teoria à prática tanto usando técnicas a que estejam habituados bem como através da aprendizagem de novas. Sendo um projecto experimental multidisciplinar é isso que queremos: aprender com e para vocês!

CONTATOS

Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto
Rua de Jorge Viterbo Ferreira, 228
4050-313 Porto, Portugal

[email protected]